set 152012
 

Detalhe da Igreja Nossa Senhora do Rosário, Seminário São Tomás de Aquino em São Paulo, Brasil

Quem disse que a música latina se restringe às preciosas relíquias do passado?
Falasar em música na língua latina não significa apenas relembrar saudoso as sóbrias e tocantes melodias do gregoriano.
Um arauto do Evangelho, que preferiu manter-se no anonimato, compôs um bela melodia polifônica para coro e e acompanhamento de orquestra de câmara tendo como letra aslguns versículos inspirados da bela poesia do rei profeta Davi (Cf. Sl 115,1.12-13).

Letra:

Non nobis, Domine, non nobis,
sed nomini tuo da gloriam
super misericordia tua et veritate tua.
Qui timent Dominum, speraverunt in Domino: adiutorium eorum et scutum eorum est.
Dominus memor fuit nostri et benedicet nobis.

A estreia da peça teve por ocasião 73º aniversário do Fundador dos Arautos, Mons. João Clá Dias, EP, e como cadre, a Basílica Nossa Senhora do Rosário, localizada em Caieiras, Grande São Paulo. Foi executada pelo Coro e Orquestra Internacional dos Arautos do Evangelho.
Para ouvir a melodia, acesse o link:
http://thabor.blog.arautos.org/non-nobis-domine/

maio 232012
 

O Veni  Sancte Spiritus, que se traduz como “Vem, ó Santo Espírito”, é a sequência da Missa Solene de Pentecostes. Essa belíssima melodia foi composta no século nono, por um sábio monge beneditino, mais tarde Arcebispo de Mainz na Alemanha, chamado Rabano Mauro (750-856 d. C.) Além de ter escrito tratados sobre educação, gramática e comentário bíblicos, Rabano Mauro compôs a sequência da Missa de Pentecostes. No Martyrologium Romanum se celebra a festa de São Rabano Mauro no dia 4 de fevereiro. O Veni Sancte Spiritus também é entoado pelos Cardeais na procissão de entrada do Conclave, momento no qual fazem o escrutínio para a eleição do novo pontífice. Delicie-se com essa lindíssima peça da literatura e da arte medieval cantada na Solenidade de Pentecostes.

Veni Sancte Spiritus (Gregoriano), por Rabano Mauro

Para ouvir, clique aqui.

Veni Sancte Spiritus Gregoriano Partitura

Letra em latim e tradução do Veni Sáncte Spíritus (Gregoriano)
Com acentos para facilitar a pronúncia

Letra em latim

Tradução portuguesa

Veni Sáncte Spíritus,

Et emitte caélitus

Lúcis túae rádium.

Vinde, Espírito Santo,

e enviai do céu

um raio de Vossa luz.

Véni páter páuperum,

Véni dátor múnerum,

Véni lúmen córdium.

Vinde, pai dos pobres,

vinde dispensador dos dons,

vinde luz dos corações.

Consolátor óptime,

Dúlcis hóspes ánimae,

Dúlce refrigérium.

Consolador por excelência,

hóspede da alma,

nosso doce refrigério.

In labóre réquies,

In aéstu tempéries,

In flétu solátium.

No trabalho, sois repouso;

no ardor, sois calma;

no pranto, consolo.

O lux beatíssima,

Réple córdis íntima

Tuorum fidélium.

O luz beatíssima,

penetrai até o fundo do coração

dos que vos são fiéis.

Sine túo númine,

Nihil est in hómine,

Nihil est innóxium.

Sem vossa graça,

nada há no homem,

nada que não lhe seja nocivo.

Láva quod est sórdidum,

Ríga quod est áridum,

Sána quod est sáucium.

Lavai o que é impuro,

fecundai o que é estéril,

ao que está ferido curai.

Flécte quod est rígidum,

Fóve quod est frígidum,

Rége quod est dévium.

Dobrai o rígido,

aquecei o que é frio,

e o que se extraviou, guiai.

Da túis fidélibus,

In te confidéntibus,

Sácrum septenárium.

Dai aos que vos são fiéis

e em vós confiam

os sete dons sagrados.

Da virtútis méritum,

Da salútis éxitum,

Da perénne gáudium.

Ámen.

Dai-lhes o mérito da virtude,

a salvação no termo da vida,

a eterna felicidade.

Amém.

 

Para ter acesso a mais músicas e partituras

Arautos do Evangelho publicam coletânea de Cânticos Gregorianos em latim com tradução portuguesa

 Musica et Lingua latina

maio 162012
 
Liber_Cantualis

O coletânea dos mais belos cânticos gregorianos, que vem a lume sob a coordenação do Pe. Pedro Morazzani, EP, é fruto de décadas do cultivo do gregoriano no dia-a-dia da comunidade religiosa dos Arautos do Evangelho. Cada melodia está acompanhada da partitura e da tradução portuguesa do texto latino.

O gregoriano nasceu na aurora da Idade Média com a compilação de alguns hinos usados pela cristandade primitiva por ordem do Papa São Gregório Magno (590-604). Essa coletânea de cânticos eclesiásticos passou para a História com o nome de canto “gregoriano” em homenagem ao virtuoso Pontífice.

Passados tantos séculos do seu surgimento, o Concílio Vaticano II definiu o gregoriano “como o canto próprio da liturgia romana”, destinado na ação litúrgica ao “primeiro lugar” (Sacrosanctum Concilium, 116). Em razão disso os padres conciliares procuraram estimular os fieis a “cultivar com sumo cuidado o tesouro da música sacra” recomendando de maneira ingente a formação de schola cantorum “nos Seminários, noviciados e casas de estudo de religiosos de ambos os sexos, bem como em outros institutos e escolas católicas” (Idem, 114-115).

Anos mais tarde, o Papa João Paulo II reafirmou essa primazia do gregoriano: “no tocante às composições musicais litúrgicas, faço minha a ‘regra geral’ formulada por São Pio X nestes termos: ‘Uma composição religiosa é tanto mais sagrada e litúrgica quanto mais se aproxima — no andamento, na inspiração e no sabor — da melodia gregoriana; e é tanto menos digna do templo quanto mais se distancia desse modelo supremo” (Quirógrafo de João Paulo II sobre a Música Litúrgica, 12).

Testemunha do relevante papel que a música sacra tem na vida espiritual dos católicos desde os primeiros tempos do cristianismo, Santo Agostinho em uma de suas mais célebres obras, as Confissões, afirmou que o contato com as piedosas melodias litúrgicas das cerimônias presididas por Santo Ambrósio, o ajudaram a encontrar o caminho da Verdade: “Quanto chorei ouvindo vossos hinos, vossos cânticos, os acentos suaves que ecoavam em vossa Igreja! Que emoção me causavam! Fluíam em meu ouvido, destilando a verdade em meu coração. Um grande impulso de piedade me elevava, as lágrimas corriam-me pela face, e me sentia plenamente feliz” (Confessionum, 9, 6: PL 769,14.).

Oficio dominical cantado em estilo gregoriano na Igreja Nossa Senhora do Rosário pertencente aos Arautos do Evangelho de São Paulo, Brasil

Oficio dominical cantado em estilo gregoriano na Igreja Nossa Senhora do Rosário pertencente aos Arautos do Evangelho de São Paulo, Brasil

Movidos pela admiração para com o cântico oficial da liturgia católica os Arautos do Evangelho procuram divulgar em nosso imenso Brasil este inestimável tesouro litúrgico, publicando esta obra que reúne Os mais belos cânticos gregorianos. Que essas melodias ressoem nos templos sagrados do nosso país para o bem espiritual dos fieis e a glorificação de Jesus Eucarístico, conforme as recentes orientações litúrgicas dadas pelo Papa Bento XVI: “Na arte da celebração, ocupa lugar de destaque o canto litúrgico. […] Enquanto elemento litúrgico, o canto deve integrar-se na forma própria da celebração; consequentemente, tudo – no texto, na melodia, na execução – deve corresponder ao sentido do mistério celebrado, às várias partes do rito e aos diferentes tempos litúrgicos. Enfim, embora tendo em conta as distintas orientações e as diferentes e amplamente louváveis tradições, desejo – como foi pedido pelos padres sinodais – que se valorize adequadamente o canto gregoriano, como canto próprio da liturgia romana” (Sacramentum Caritatis, 42).

O livro contem 282 páginas e é publicado em São Paulo pelos Arautos do Evangelho com o apoio da Editora Lumen Sapientiae.

Para visualizar partes do livro, clique aqui.

Faça já o seu pedido ao Instituto Lumen Sapientiae!
Rua Dom Domingos de Sillos, n° 238
CEP: 02526-030 – São Paulo -SP
(11) 4419-2311
Endereço eletrônico: [email protected]

abr 052012
 

Victimae Paschali Laudes

EcceHomo_Jesus_Filho_de Deus_Latine

Victimae Paschali Laudes

Não há acentos no latim. Transcrevemos aqui apenas para facilitar a pronúncia.


Victimae pascháli laudes ímmolent Christiáni,

Agnus redémit óves: Christus ínnocens Patri reconciliávit peccatóres.

Mors et vita duéllo conflixére mirando: dux vitae mórtuus, regnat vivus.

Dic nóbis Maria, quid vidísti in via?

Sepulcrum Christi vivéntis, et glóriam vidi resurgéntis:

Angélicos testes, sudárium, et vestes.

Surréxit Christus spes mea: praecédet suos in Galilaéam.

Scimus Christum surrexísse a mórtuis vere: tu nóbis, victor Rex, miserére. Amen. (Allelúia).

Tradução para o português

À vítima pascal, que os cristãos oferecem o sacrificio de seus louvores.

O Cordeiro redimiu as ovelhas: Cristo inocente, com o Pai, reconciliou os pecadores.

A morte e a vida se bateram num duelo admirável, o Rei da vida, morto, reina vivo.

Dize-nos, Maria, no caminho; o que vistes?

O sepulcro de Cristo, que vive, e a sua glória que ante os olhos tive.

Vi as testemunhas angélicas, o sudário e as vestes.

Cristo minha esperança, ressuscitou e preceder-vos-á na Galiléia.

Sabemos, sim, que Cristo ressuscitou dos mortos.

Vós, ó Rei vitorioso, tende misericórdia de nós. Amén. Aleluia.

Audio e Partitura

Victimae Paschali Laudes (Gregoriano)

Para ouvir, clique aqui.

Partitura_Victimae_Paschali_Laudes_Jesus_Sequencia_Ressurreicao_Resurection_Oster

Feliz Páscoa!

fev 232012
 

8 motivos para estudar latim

037_20071016_gk51. A língua latina passou para a História como o idioma no qual a maioria dos autores clássicos, medievais e modernos escreveram suas obras. Desde os antigos (Sêneca, Cícero, Terêncio e Júlio César) passando pelos medievais (Santo Agostinho, Santo Isidoro, São Tomás de Aquino e São Anselmo) até os modernos (Isaac Newton, Descartes, Erasmo, Copérnico, Francis Bacon e Thomas Morus) legaram à humanidade obras em latim. Inclusive Nietzsche tem livros e frases famosas em latim.

2. Essa língua é considerada uma das maiores fontes do conhecimento ocidental em diversas disciplinas como teologia, história, direito, filosofia, poesia e ciências biológicas, físicas e químicas. O conhecimento do latim dá acesso à fonte original do pensamento contemporâneo. Sem o conhecimento ainda que básico desse idioma não pode haver pesquisa e pensamento profundo.

3. O latim é a língua da qual derivou as línguas romances, isto é, o português, o espanhol, o francês, o italiano e o romeno. A aprendizagem do latim facilita a compreensão e o aprofundamento das línguas românicas. É a origem do português, a língua de nossa pátria.

4. Segundo diversos pesquisadores que com seus estudos confirmaram o senso comum dos nossos antepassados, a língua latina desenvolve o raciocínio abstrato e analítico por causa do uso das declinações. Cria o hábito da análise sintética durante a leitura e a fala, tornando gradualmente o pensamento mais organizado ao disciplinar a mente.  Segundo alguns confere maior clareza de julgamento.

5. Aumenta a capacidade de concentração e proporciona maior agilidade mental. De tal forma o latim é benéfico para a vida intelectual que ainda hoje em países de fala alemã, se estuda o latim.

6. O Direito Romano é o fundamento dos princípios que regem a legislação atual. Não é preciso explicar a importância do latim para o jargão de um estudante ou docente de direito.

7. Para um católico, o latim se torna ainda mais necessário, pois com exceção da Bíblia, as fontes teológicas, ou seja, os documentos pontifícios e a maioria dos escritos patrísticos, foram escritos em seu original na língua latina.

8.  A liturgia do Rito Latino assim como o cântico gregoriano foram escritos originalmente em latim.

fev 132012
 

Regina Caeli, para ouvir este belo cântico gregoriano.

Regina Caeli


Regína Caeli

Letra em latim

Regína coeli, laetáre, allelúia. Quia quem meruísti portáre, allelúia.

Resurréxit sicut dixit, allelúia. Ora pro nóbis Deum, allelúia.

Tradução

Rainha do céu, alegrai-Vos, aleluia.

Porque aquele que merecestes trazer em vosso seio, aleluia,

ressuscitou como disse, aleluia.

Rogai a Deus por nós, aleluia.

A Virgem e o menino, Igreja da Dormição de Maria, Jerusalém, Israel

A Virgem e o menino, Igreja da Dormição de Maria, Jerusalém, Israel

Obs: Pode-se escrever “Regina Caeli” ou “Regina Coeli”. Embora não ocorra acentos em latim, acentuamos as palavras da versão latina para facilitar a pronúncia dos iniciantes.

fev 132012
 

Regina Caeli, para ouvir este belo cântico gregoriano.

Regina Caeli


Regína Caeli

Letra em latim

Regína coeli, laetáre, allelúia. Quia quem meruísti portáre, allelúia.

Resurréxit sicut dixit, allelúia. Ora pro nóbis Deum, allelúia.

Tradução

Rainha do céu, alegrai-Vos, aleluia.

Porque aquele que merecestes trazer em vosso seio, aleluia,

ressuscitou como disse, aleluia.

Rogai a Deus por nós, aleluia.

A Virgem e o menino, Igreja da Dormição de Maria, Jerusalém, Israel

A Virgem e o menino, Igreja da Dormição de Maria, Jerusalém, Israel

Obs: Pode-se escrever “Regina Caeli” ou “Regina Coeli”. Embora não ocorra acentos em latim, acentuamos as palavras da versão latina para facilitar a pronúncia dos iniciantes.

dez 202011
 

adoracion_rrmm_por_maestro_adoracion_de_utrecht_m_00001

Puer Natus est Nobis (Gregoriano)

Se não conseguir ouvir, clique aqui.

Puer Natus est Nobis (Gregoriano)Tradução

Púer Natus (Gregoriano; Introito da missa de Natal)

Puer natus est nobis, et fílius datus est nobis:

cujus impérium super húmerum ejus:

et vocábitur nomen ejus, magni consílii Angelus.

Ps. Cantáte Dómino cánticum novum:

quia mirabília fecit.

Glória Patri.

Nasceu-nos um Menino

Nasceu-nos um Menino e um Filho nos foi dado;

o império repousa sobre seus ombros e será chamado

o Anjo do grande conselho.

Sl. Cantai ao Senhor um cântico novo,

porque operou maravilhas.

Glória ao Pai.

dez 072011
 

Como seu primeiro presente neste natal, o Latine oferece aos nossos assíduos leitores uma linda poesia sobre o menino Deus. Poesia cantada em estilo gregoriano pelo Coro dos Arautos do Evangelho. O leitor poderá acompanhar o cântico com a partitura.

Para ouvir ou baixar, clique aqui.

Puer Natus in Bethlehem

Puer natus in Bethlehem

Puer natus in Bethlehem, alleluia, unde gaudet Ierusalem, alleluia, alleluia.

In cordis iubilo Christum natum adoremus, cum novo cantico.

Assumpsit carnem Filius, alleluia, Dei Patris altissimus, alleluia, alleluia.

Hic iacet in praesepio, alleluia, qui regnat sine termino, alleluia, alleluia

Et Angelus pastoribus, alleluia, revelat quod sit Dominus, alleluia, alleluia.

De Matre natus Virgine, alleluia, qui lumen est de lumine, alleluia, alleluia.

Sine serpentis vulnere, alleluia, de nostro venit sanguine, alleluia, alleluia.

In hoc natali gaudio, alleluia, benedicamus Domino, alleluia, alleluia.

Laudetur sancta Trinitas, alleluia, Deo dicamus gratias, alleluia, alleluia

Tradução portuguesa

Um menino nasceu em Belém, aleluia: alegre-se, pois, Jerusalém, aleluia, aleluia.

Com o coração cheio de júbilo, adoremos a Cristo que nasceu, com um novo cântico.

O Filho do Altíssimo Deus Pai, aleluia, assumiu a carne, aleluia, aleluia.

No presépio está deitado, aleluia, Aquele cujo reino não tem fim, aleluia, aleluia.

E os Anjos revelam aos pastores, aleluia, onde está o Senhor, aleluia, aleluia.

De uma Mãe Virgem nasceu, aleluia, Aquele que é a luz da luz, aleluia, aleluia.

Sem a ferida da serpente, aleluia, nasceu do nosso sangue, aleluia, aleluia.

Neste jubiloso Natal, aleluia, demos graças ao Senhor, aleluia, aleluia.

Adoremos a Santíssima Trindade, aleluia, e a Deus demos graças, aleluia, aleluia.

nov 172011
 

Salve Rainha (Gregoriano Audio Mp3)

Para ouvir, clique aqui.

Partitura

Salve Regina

História da Salve Rainha

A Salve Rainha é uma oração dirigida a Nossa Senhora surgida no século XI. Narra a História que um monge chamado Hermano Contracto compôs a oração cerca do ano de 1050 na cidade de Reichenau, Alemanha. Quando São Bernardo de Claraval tomou contato com a oração cantada pelos monges ficou tomado de tal enlevo a ponto de improvisar a última parte do cântico. Daí surgiu o verso “O clemens, O pia, O dulcis Virgo Maria”, que em português significa, “Ó clemente, ó piedosa, ó doce Virgem Maria”.

Domina Nostra a Fatima

Domina Nostra a Fatima

Historia Salve Regina

Salve Regina oratio ad Dominam Nostram scripta in XI saeculo. Monachus benedictinus Hermanus Contractus circa anno 1050 factus est eam in oppido Reichenau, Germania. Cum Sanctus Bernardus Claraevallensis cognoscit eam cantatam a monachis, admiratione afflante, postremam precis partem componit: “O clemens, O pia, O dulcis Virgo Maria”.

Tradução da Salve Regina

Salve, Rainha, mãe de misericórdia,
Salve, Regina, Mater misericordiae,
vida, doçura, esperança nossa, salve!
vita, dulcedo, et spes nostra, salve.
A vós bradamos os degredados filhos de Eva.
Ad te clamamus, exsules filii Hevae,
A vós suspiramos, gemendo e chorando
ad te suspiramus, gementes et flentes
neste vale de lágrimas.
in hac lacrimarum valle.
Eia, pois, advogada nossa,
Eia, ergo, advocata nostra, illos tuos
esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei,
misericordes oculos ad nos converte;
e depois deste desterro mostrai-nos Jesus,
et Jesum, benedictum fructum ventris tui,
bendito fruto do vosso ventre,
nobis post hoc exilium ostende.
Ó clemente, ó piedosa,
O clemens, O pia, O dulcis Virgo Maria.
ó doce sempre Virgem Maria
V.: Ora pro nobis sancta Dei Genetrix.
V.: Rogai por nós santa Mãe de Deus
R.: Ut digni efficiamur promissionibus Christi.
R.: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Textus in latine

Salve, Regina, Mater misericordiae,

vita, dulcedo, et spes nostra, salve.

Ad te clamamus, exsules filii Hevae,

ad te suspiramus, gementes et flentes

in hac lacrimarum valle.

Eia, ergo, advocata nostra, illos tuos

misericordes oculos ad nos converte;

et Jesum, benedictum fructum ventris tui,

nobis post hoc exilium ostende.

O clemens, O pia, O dulcis Virgo Maria.

Em alguns ainda é adicionado:

V.: Ora pro nobis sancta Dei Genetrix.

R.: Ut digni efficiamur promissionibus Christi.

O clemens, o pia, o dulcis Virgo Maria

O clemens, o pia, o dulcis Virgo Maria